Novo HamburgoRio Grande do Sul

Novo Hamburgo registra queda de 45% nos homicídios

Números se referem ao primeiro semestre de 2020

Balanço da criminalidade referente ao primeiro semestre de 2020 em Novo Hamburgo aponta para a redução significativa do número de homicídios. A queda, em comparação com o mesmo período em 2019, é de 45% – o que corresponde a nove vítimas a menos.

Publicidade

Os dados são da Secretaria de Segurança Pública do Estado, com base nos registros de ocorrência, e trabalhados pelo Observatório da Segurança de Novo Hamburgo. Segundo o levantamento, os primeiros seis meses de 2020 repetiram o mesmo período em 2019 e não registraram nenhuma ocorrência de latrocínio, mantendo o município livre deste que é um dos mais graves crimes contra a vida.

Crimes contra o patrimônio também apresentam queda

A redução nos indicadores ocorre também nos crimes contra o patrimônio. É possível observar, entre 1º de janeiro e 30 de junho, a diminuição nos números relacionados a furtos (-55,40%), furtos de veículos (-4,63%) e roubos (-29,41%). Apenas os crimes de roubo de veículos e abigeato apresentaram ligeira alta. Nos primeiros seis meses do ano foram roubados 18 veículos a mais do que no mesmo período de 2019, o que representa alta de 1,37%. Com relação ao crime de abigeato, 2020 apresenta uma ocorrência a mais em Novo Hamburgo, o que ocasionou alta de 14,29%

Veja, abaixo, a tabela completa com os principais indicadores criminais:

Violência contra a mulher

Uma das maiores preocupações das autoridades de Segurança Pública durante a pandemia de COVID-19 é o aumento dos casos de violência doméstica, em virtude das medidas de isolamento e distanciamento social adotadas pelo poder público desde março. Segundo o Observatório da Segurança de Novo Hamburgo, esta preocupação encontra fundamento nos dados das ocorrências policiais registradas no primeiro semestre de 2020.

Entre janeiro e junho, o número de feminicídios no Rio Grande do Sul pulou de 41 (2019) para 51 (2020). No primeiro semestre ano passado, não houve registro de nenhuma ocorrência deste crime em Novo Hamburgo, enquanto neste ano há o registro de uma ocorrência. Os casos de estupro caíram de 16, em 2019, para 15 em 2020. As ocorrências de lesão corporal, no entanto, apresentam alta de 3%, indo de 166 para 171.

Veja, abaixo, a tabela completa com os indicadores de violência doméstica:

Análise do perfil das vítimas

O Observatório da Segurança também analisou o perfil das vítimas de homicídio doloso e das vítimas de violência doméstica. Para esse estudo, foram utilizados dados dos primeiros semestres dos anos de 2018, 2019 e do primeiro semestre de 2020.

De acordo com a equipe de pesquisadores, 89% das vítimas de homicídio em Novo Hamburgo são do sexo masculino e 52% se encontram na faixa etária entre 18 e 34 anos. O diagnóstico aponta, ainda, que 65,22% dos casos de homicídio ocorreram nos horários entre 18h e 6h.

Com relação às vítimas de violência doméstica, o estudo realizado pelo Observatório da Segurança aponta para um dado preocupante: 57% das ocorrências de estupro registradas se enquadram como estupro de vulnerável, que é quando a vítima possui menos de 14 anos. Ao traçar o perfil das vítimas, foi constatado que 63% é menor de 18 anos, sendo 50% delas localizadas na faixa etária entre 0 e 12 anos. O local onde a violência ocorre com mais frequência é na casa da vítima, onde foram registrados 42,2% dos casos.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar

Seu navegador está bloqueando os anúncios deste site.

Todo o conteúdo deste portal é 100% gratuito. Os anúncios que exibimos é a forma de manter este veículo de informação independente e comprometido somente com você leitor.