Publicidade
CanoasRio Grande do SulVale do Sinos

Educação inclusiva é prioridade nas escolas municipais de Canoas

Município é referência na acessibilidade do ensino por investir na qualidade e infraestrutura das escolas

Em Canoas, os avanços na rede pública de ensino foram inúmeros desde 2017 e deram fim ao cenário de total abandono e desvalorização do sistema educacional deixado por administrações passadas. Além de garantir o acesso de todas as crianças à educação, promover reformas significativas nas unidades escolares e dar voz às comunidades, a Prefeitura tem assegurado que os alunos recebam qualidade, conforto e modernidade no aprendizado. A preocupação da administração municipal em relação aos mais de 3 mil alunos com necessidades especiais também foi um divisor de águas nos últimos anos.

De acordo com a Diretoria de Educação Inclusiva (DEIN), vinculada à Secretaria Municipal da Educação (SME), todas as 44 Escolas Municipais de Ensino Fundamental (EMEFs) oferecem atendimento inclusivo aos alunos que apresentam alguma deficiência intelectual, física, visual, altas habilidades ou Transtorno do Espectro Autista (TEA). Como resultado das políticas de inclusão desenvolvidas no município, 380 novos alunos deste público foram matriculados apenas entre 2017 e 2019. O aumento expressivo pode ser explicado pela implementação, por exemplo, das Salas de Recursos Multifuncionais que auxiliam os estudantes no turno inverso ao de suas aulas.

Publicidade

“Ao contrário de outras cidades que veem a educação inclusiva como puramente inserir a criança com deficiência na escola em turno integral, Canoas compreende as peculiaridades e explora as potencialidades dos estudantes. É assim que todo o corpo docente tem atuado nas escolas municipais de educação infantil e ensino fundamental, incentivando o desenvolvimento de cada aluno e respeitando suas características”, explica a diretora do DEIN, Grasiela Mauer.

Outras ações importantes na área foram as adaptações nas infraestruturas das escolas, atendendo até mesmo solicitações de canoenses realizadas há mais de dez anos. As EMEFs Paulo Freire e Erna Würth, no bairro Guajuviras; Santos Dumont, no Niterói; e Ícaro, no Rio Branco, foram as últimas escolas a receberem a instalação de plataforma elevatória para a acessibilidade dos alunos. Além disso, a Prefeitura de Canoas ampliou o serviço ofertado pelo Ambulatório do Autismo, Núcleo de Apoio Pedagógico e Produção em Braille (NAPPB) e o número de vans contratadas para o transporte escolar dos alunos da inclusão, passando de seis para nove veículos.

Canoas também é destaque na educação inclusiva ao ter sido, no último ano, a primeira cidade gaúcha a incluir a Língua Brasileira de Sinais (Libras) no currículo escolar. Guiados pelo Referencial Curricular do município, todos os alunos aprendem desde as séries iniciais os elementos da cultura surda e são provocados a refletirem sobre as particularidades dos deficientes auditivos. Na reta final do ensino fundamental, os estudantes são ensinados a identificar e empregar pronomes, adjetivos e expressões interrogativas, tanto na sinalização, como na escrita.

Além das reformas estruturais que possibilitam a acessibilidade no ensino, as escolas contam com o suporte do Centro de Capacitação, Educação Inclusiva e Acessibilidade (CEIA), que possui 16 profissionais para atendimento de fonoaudiologia, psicologia, psicomotricidade, serviço social, tecnologia digital, artes visuais e psicopedagogia. Os docentes, com formação em Atendimento Educacional Especializado (AEE), promovem, ainda, apoio nas questões da surdez aos alunos incluídos, familiares surdos e escola. Antes da pandemia, o local atendia os alunos que precisavam de acompanhamento mais constante e casos de maior complexidade.

Para a coordenadora do CEIA, Liliane Veiga, as amplas obras realizadas no Centro em 2019 fazem toda a diferença no dia-a-dia de inúmeras famílias que utilizam a estrutura. “É importante salientar que o espaço físico do CEIA recentemente recebeu melhorias nas salas de atendimento e passou a ter divisórias adequadas, respeitando a ética, o sigilo e a qualidade que os canoenses merecem”, diz. Hoje, esses estudantes recebem amparo através do ambiente digital. Por meio do Google For Education, outro programa incluído na rotina escolar de Canoas, mais de 500 professores da rede municipal infantil e fundamental são instruídos com formação à distância para a educação inclusiva.

O prefeito de Canoas, Luiz Carlos Busato, ressalta que todas as medidas adotadas nos três últimos anos visam um único objetivo: garantir a equidade do acesso dos canoenses em todos os espaços públicos e, sobretudo, nas escolas. “Canoas tem avançado de forma significativa com tamanhos investimentos na acessibilidade de crianças e jovens. Reconhecemos que podemos fazer ainda mais por esses alunos, mas já tivemos grandes avanços e continuaremos lutando pela inclusão”, declara Busato.

Publicidade
Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo