Pelotas

Pelotas registra menor número de roubo a pedestres desde 2003

Foram registradas 51 ocorrências no mês de dezembro; número positivo é atribuído ao trabalho coletivo realizado pelas forças policiais

Há 18 anos Pelotas não apresentava um índice tão baixo de roubo a pedestres no mês de dezembro como ocorreu em 2020. Foram 51 ocorrências, e os números mensais registrados anteriormente foram 55, em novembro, e 105, em outubro. O levantamento feito pelo Observatório de Segurança Pública mostra que em 2017 foram registrados 233 crimes dessa natureza em dezembro, enquanto que em 2018 foram 148 e 135 em 2019. A união das forças de segurança, que vêm trabalhando de maneira integrada na cidade, é o principal motivo dessa redução nos números.

Publicidade

Esses resultados positivos deixam explícito, na visão da prefeita Paula Mascarenhas, o sucesso consolidado do Pacto Pelotas pela Paz, que completou 40 meses em operação. A redução do roubo a pedestres é, inclusive, um dos maiores objetivos do programa. Considerando que dezembro é um mês que costuma apresentar aumento no número das ocorrências dos crimes dessa natureza, a volta aos índices de 2003 pode ser vista como uma redução histórica. Isso mostra “o acerto da Prefeitura em colocar a Segurança Pública como prioridade e a qualidade do trabalho que vem sendo feito por todas as instituições envolvidas”, pontua.

O trabalho conjunto das forças policiais vai desde o planejamento até a execução de ações, conforme explica o secretário de Segurança Pública, Samuel Ongaratto. “O serviço integrado das forças policiais que é feito na cidade de Pelotas continua nos entregando diversas alegrias”, comemora. Ele cita as barreiras de trânsito, as Operações Integradas – foram realizadas 372 só em 2020 – e a Tudo Azul como exemplos de operações que auxiliaram nessa diminuição de ocorrências.

Publicidade

A guarda municipal e coordenadora do Observatório de Segurança Pública, Cíntia Aires, afirma que a população só tem a ganhar com a união das forças de segurança. “A perspectiva para os próximos meses é manter a integração e o trabalho para que esse cenário se mantenha”, adianta. Ela ainda lembra: “mesmo em 2003, quando o número de roubos a pedestres era inferior ao panorama dos últimos anos em Pelotas, não tivemos um índice igual”.

No mês de dezembro, o combate à criminalidade se uniu à fiscalização das medidas preventivas ao Covid-19. Viaturas da Guarda Municipal atuaram no Centro da cidade, especificamente no Calçadão – onde o foco é o comércio e adjacentes -, com seis guardas. Além disso, a área central também contou com a presença das viaturas do serviço da ROMU (Guarnições da Ronda Ostensiva Municipal) e o micro-ônibus com monitoramento com câmeras, localizado onde havia maior demanda de contingência de furtos e roubos.

De acordo com o chefe operacional da GM, Sandro Beloto, essas iniciativas proporcionaram à população uma maior visibilidade das ações das forças policiais e, ainda, auxiliaram a sociedade por meio do fornecimento de informações referentes ao município. Torna-se, então, uma questão de aproximação com os pelotenses e demonstração de eficiência no serviço oferecido.

Outros números

Um comparativo entre 2019 e 2020, feito pelo Observatório de Segurança Pública, mostra a redução nos índices criminais em Pelotas. Os Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) diminuíram 52,7% e o roubo a pedestre, 51,7%. O roubo a estabelecimento comercial e financeiro sofreu uma queda de 20%, enquanto que o roubo a transporte público diminuiu 55%. O roubo e furto de veículos caíram 18% e 52%, respectivamente. Por fim, o roubo e furto a residência caíram 36% e 52%, respectivamente.

Publicidade
Publicidade
Botão Voltar ao topo