DestaqueGastronomia

A beleza de um Moscatel, tudo o que você pode fazer com esse vinho

Bebida aromática que combina muito bem com aperitivos e sobremesas.

O Moscatel vai surpreender o seu paladar. De doçura inconfundível, o Moscatel é uma das uvas mais versáteis do mundo dos vinhos. A casta é uma das mais antigas conhecida pelo homem. Acredita-se que ela tenha saído da Ásia rumo à Grécia e posteriormente à Itália há mais de 5 mil anos.

Publicidade

Seu nome significa “preferida das abelhas” e já indica o alto teor de açúcar das uvas quando amadurecem, mas a sua principal característica é o aroma, uma mistura de frutas brancas, como pêssego, mel, damasco e notas florais. Existem mais de 200 variedades de Moscatel, entre uvas brancas e tintas, que dão origem a todo tipo de vinho: branco, espumante e de sobremesa. Em comum, resultam em bebidas naturalmente doces.

Por se tratar de um vinho doce, muitas vezes o Moscatel não é apreciado como deveria, sendo confundido com o vinho suave, de qualidade inferior, que não é adoçado exclusivamente pelas uvas.

Tipos de Moscatel

Publicidade

Muscat (em francês), Moscato (em italiano) ou Moscatel (em português) designam a mesma variedade de uva. Já deu para perceber que muitos países produzem vinhos Moscatel, com variedades adaptadas às suas terras.

Vamos conhecer os exemplares mais emblemáticos feitos a partir desta inconfundível casta:

Moscatel de Setúbal (Portugal)
O Moscatel de Setúbal é um vinho produzido na região de Setúbal, no sudoeste de Portugal, próximo à Lisboa. Ele é considerado um patrimônio nacional, assim como o vinho do Porto, e goza de uma Denominação de Origem Controlada (D.O.C.).

Na produção do Moscatel de Setúbal é adicionada aguardente vínica, que interrompe a fermentação, elevando o teor alcoólico da bebida. Esse processo é conhecido como fortificação.

Posteriormente, o vinho envelhece por, ao menos, 2 anos antes de chegar ao consumidor. Essa etapa garante uma bela coloração levemente acobreada e confere notas de baunilha e de mel ao vinho.

Moscato d’Asti (Itália)
Produzido na comuna de Asti, no Piemonte, o Moscato d’Asti conta como uma Denominação de Origem Controlada e Garantida (D.O.C.G.).

Este espumante, elaborado com a uva Moscato Bianco, é produzido segundo o Método Asti. Nele, a fermentação acontece apenas uma vez, em autoclaves, e é interrompida por um choque térmico, preservando ao máximo as características da uva.

Com teor alcoólico entre 6% e 9%, o Moscato d’Asti é um espumante muito aromático, com notas de frutas cítricas, como damasco, além de nuances florais.

Moscatel Nacional
No Brasil, a uva Moscatel é usada principalmente para a produção de espumantes. A cidade de Farroupilha, no Rio Grande do Sul, é responsável por mais de 50% do cultivo da casta no país e, inclusive, conta com um festival anual para celebrar a atividade, o Festival do Moscatel.

Com grande doçura e um bouquet aromático intenso, é uma bebida que conquista muitos paladares sendo uma das mais presentes na hora de fazer um brinde.

O Moscatel é reconhecido como o vinho de qualidade mais consistente produzido no Brasil, gozando de grande reconhecimento tanto dentro, quanto fora do país.

Alguns bons rótulos disponíveis no mercado são:

  • Espumante Vallontano Moscatel
  • Espumante Casa Perini Moscatel
  • Espumante Hermann Bossa Nº 4 Moscatel

Harmonizações com vinho Moscatel
De forma geral, o Moscatel pode ser servido em dois momentos: para acompanhamento de entradas e de sobremesas. A bebida harmoniza bem com queijos frescos, como queijo de cabra e mussarela de búfala, assim como, com saladas.

Sobremesas à base de frutas são ideais para acompanhar o espumante. A dupla Moscatel e panetone é um clássico na ceia de Natal. Com tantas boas opções para experimentar o Moscatel, não tem motivo para não desfrutar do aroma e do sabor que este vinho tem.

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo