Caxias do SulNegócios

Caxias do Sul avalia transformação de resíduos orgânicos em gás

Sistema com tecnologia israelense tem impacto ambiental e econômico

O reaproveitamento de resíduos orgânicos, especialmente restos de alimentos, com sua transformação em gás de cozinha, ganha atenção da Prefeitura de Caxias do Sul. Na manhã de quarta (19.05), o prefeito Adiló Didomenico participou de apresentação do HomeBiogas, sistema de biodigestão desenvolvido a partir de tecnologia israelense e já em uso em várias cidades brasileiras. Dentre elas, Nova Roma do Sul, que será visitada pelo prefeito brevemente para conhecer o funcionamento na prática.

Publicidade

O sistema é distribuído no Brasil pela BioMovement. De acordo com a empresa, o biodigestor, dependendo de modelo, transforma em gás, diariamente, de quatro a 10 quilos de resíduos orgânicos ou de 18 a 60 quilos de esterco animal. O sistema é construído a partir de materiais resistentes a temperaturas extremas, com vida útil estimada entre 10 e 15 anos. A empresa assegura que o biodigestor e o reservatório do sistema são vedados, garantindo que nenhuma quantidade de líquidos permeie pela câmara de digestão e nenhum gás seja emitido ao exterior.

O custo do equipamento, dependendo da versão, é de R$ 5.900 e R$ 11.900. A empresa simulou a viabilidade financeira do projeto a partir dos resíduos gerados nas refeições servidas nas 82 escolas do Município. De acordo com os dados disponíveis, seria possível economizar, por estabelecimento, de 1,6 a 2,2 botijões de gás a cada 20 dias.

Publicidade

Também foi simulada a situação atual da Ceasa de Caxias do Sul, que destina ao aterro sanitário, mensalmente, em torno de 28 toneladas de restos de alimentos. Um biodigestor transformaria estes resíduos em 100 m³ de gás, com a possibilidade de envase em cilindros para venda como combustível automotivo ou para uso em cozinha.

O prefeito avaliou o sistema como interessante do ponto de vista econômico, mas principalmente ambiental, na medida em que contribui para a redução do destino de resíduos para o aterro sanitário, aumentando a sua vida útil. Adiló destaca que outra meta de governo é reaproveitamento do óleo de cozinha. “Vamos avançar nestes temas, que são importantes para o desenvolvimento social e econômico sustentável da comunidade”, assegurou. A apresentação foi acompanhada pelo vereador Sandro Fantinel.

Publicidade
Botão Voltar ao topo