São LeopoldoVale do Sinos

Resistência: graxaim é detectado por câmeras do Parque Imperatriz, em São Leopoldo

É a natureza teimando em sobreviver à ocupação do homem

Um visitante inusitado está chamando atenção no Parque Natural Municipal Imperatriz Leopoldina, em São Leopoldo. Trata-se de um graxaim-do-mato (Cerdocyon thous). O mamífero foi flagrado por uma agente do Grupamento de Defesa Ambiental (GDA) da Guarda Civil Municipal (GCM) através do sistema de videomonitoramento do local na sexta-feira, 11 de junho, por volta das 4h30 da manhã.

O animal foi visto nas imediações da área administrativa do Parque e distante do local de mata fechada. A cerca de seis meses agentes da GCM vêm relatando avistarem o graxaim, mas agora, com a captação das imagens, comprovou-se a presença do animal, que demonstra a extrema importância da Unidade de Conservação que fica em meio à mancha urbana de São Leopoldo.

Conforme o chefe do Jardim Botânico do Parque Imperatriz, Eduardo Rossetto, ainda não é possível dar mais detalhes sobre o animal. “O que podemos adiantar é que é um indivíduo adulto e de aspecto muito saudável. Estamos bem felizes com essa descoberta, uma vez que sintetiza toda importância dessa unidade de conservação. Os mamíferos são os primeiros animais que desaparecem quando a ação humana chega em seus territórios. A presença desse tipo de animal mostra que nossa unidade de conservação está cumprindo seu papel junto ao ambiente natural, proporcionando as condições necessárias para o indivíduo”, apontou.

O secretário municipal de Meio Ambiente, Anderson Etter, falou sobre a importância das áreas de preservação em São Leopoldo. “É sempre importante buscar mais maneiras de garantir a proteção ambiental. Por isso, no Plano Diretor atualizado em 2019, os banhados e áreas de proteção ambiental ocupam um lugar de destaque no planejamento urbano do município. Nós criamos as chamadas Macrozonas de Proteção Ambiental que têm como objetivo garantir pelo menos 30% da área total do município para a preservação de áreas de banhado e seus ecossistemas relacionados”, apontou Etter.

Monitoramento

A partir de agora, o objetivo da Semmam é realizar um monitoramento para verificar se o graxaim está habitando no parque. “Precisamos descobrir se é um indivíduo isolado ou se existem outros exemplares da espécie. Nunca tínhamos encontrado vestígios, apenas relatos de agentes da guarda de terem avistado. Estamos verificando a possibilidade de armadilhas fotográficas para ter a certeza de tudo isso. É uma ação importante para nossas ações de manejo da UC.”

Graxaim-do-mato
Habitat: Prefere bordas de mata e ambientes mais abertos a matas mais densas.
Distribuição: Ocorre em todo o estado do RS.

Hábito de vida Predominantemente noturno
Características gerais: É um pouco menor que o Graxaim-do-campo (Lycalopex gymnocercus) medindo até um metro. Apresenta pelagem cinza-clara, com pelos mais claros na base, e uma faixa de pelos pretos sobre o dorso. Os membros são mais curtos, e as patas revestidas por uma pelagem mais escura. Orelhas de tamanho mediano a cabeça. Onívoros, têm sua dieta baseada em pequenos vertebrados, invertebrados e frutas. São erroneamente considerados predadores de animais domésticos e devido a isso são caçados. Em geral, durante o dia, escondem-se em tocas, fendas e ocos de árvores. Informações obtidas através do Fauna Digital, um projeto de extensão da UFRGS, associado ao Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal (PPG-BAN) UFRGS.

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo