Caxias do Sul

Caxias do Sul registra crescimento industrial de quase 40% em maio

A comparação é com o mesmo mês de 2020. Levantamento da CIC e CDL foi divulgado nesta quinta-feira (8)

Os indicadores do mês de maio revelam que houve queda de 2,7% na economia de Caxias do Sul em comparação com o mês de abril. Indústria, com -3,4%, e os serviços, com -7%, foram os dois setores que registraram desempenho negativo no comparativo, enquanto o comércio teve alta de 6,7%. Em relação a maio de 2020, porém, a economia reagiu e cresceu 18,8%, puxada pela indústria, que teve alta de 39,9%, e pelo comércio, que vem recuperando as suas perdas. Com isso, no acumulado do ano, a economia caxiense apresentou indicador positivo de 8,7%. É o que mostra o levantamento realizado pela Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC) e Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) e divulgado em coletiva de imprensa virtual nesta quinta-feira (8).

“No ano passado, a base era muito fraca, pois em maio estávamos vivenciando o auge da pandemia, mas, de toda forma, os números mostram a força da retomada econômica”, afirmou a diretora de Economia, Finanças e Estatística da CIC Maria Carolina Gullo, ao comentar o desempenho da indústria.

Já o indicador que mede o acumulado de 12 meses mostra uma queda menos acentuada de 0,7%, com o comércio e os serviços negativos, e a indústria crescendo 15%.

Também diretor de Economia, Finanças e Estatística da CIC Caxias, Astor Schmitt comentou que o levantamento demonstra que o segmento que mais recuperou até agora foi a indústria, que é a locomotiva da economia local, e que, ao reagir, mostra alguns indicadores positivos, como o caso de compras industriais, horas trabalhadas e massa salarial.

No comércio exterior, houve uma queda de -31,1% no saldo da balança comercial, situando-se em US$ 330 milhões no acumulado dos últimos 12 meses. As exportações tiveram queda de -12,2% no mesmo período, enquanto as importações cresceram 3,7%. No destino das exportações caxienses em maio, os Estados Unidos se situam na primeira posição, seguidos por Chile, Panamá, Congo, Argentina, Uruguai, México e Peru. Já entre os países de origem das importações caxienses, a China se mantém na liderança, seguida por Itália, Alemanha, Estados Unidos, Áustria e Japão.

Empregos
No mês de maio, Caxias do Sul registrou 5.844 admissões e 5.301 demissões, resultando na geração de 543 empregos formais. Os serviços e o comércio foram os setores que mais abriram vagas no mês. A agropecuária foi o único segmento que registrou demissões líquidas, com 53 postos fechados. O estoque de postos de trabalho com carteira assinada hoje em Caxias do Sul é de 153.315.
— Relatório Desempenho da Economia de Caxias do Sul /Maio/2021

Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo