Saúde

Hipertensão aparece cada vez mais cedo, inclusive em crianças

A hipertensão é praticamente ignorada pelos mais jovens, um grande equívoco que pode colocar em risco a saúde de muitos adolescentes e até de crianças. Valores aumentados de pressão arterial nessas faixas etárias, facilitam a evolução para hipertensão com mais lesões nos vãos, rins e coração desses indivíduos quando forem adultos. Dados da Sociedade Brasileira de Hipertensão mostram que mais de 3,5 milhões de jovens podem ter pressão alta no Brasil. É necessário alertar os profissionais da saúde e também a população para esse fato.

Anualmente ocorrem 9,4 milhões de mortes no mundo por causa da doença e quanto mais precoce forem tomadas medidas para controlar a hipertensão, maior a chance de redução dessa mortalidade.

O cardiologista Roberto Kalil explica que a hipertensão é uma doença cardiovascular e suas causas, na juventude, são diversas. “A doença costuma estar relacionada tanto à genética quanto ao estilo de vida, mas também pode ser secundária”. Assim, as principais causas são: hereditariedade: filhos de pais que possuem pressão alta têm maior probabilidade de desenvolvê-la; e a hipertensão secundária, desenvolvida após patologias como problemas renais, hipertireoidismo, entre outras.

“Outro fator é a obesidade infantil, esse é um dos motivos que elevaram a incidência de hipertensão em jovens no Brasil. Essa relação existe porque o excesso de peso aumenta os níveis de insulina no sangue e a retenção de sódio nos rins. Além disso, a origem da obesidade costuma estar associada à alimentação inadequada, rica em açúcares, sal e gordura, juntamente com o sedentarismo prejudicando ainda mais a saúde”, explica.

O consumo excessivo de sódio também pode provocar a retenção de líquido no corpo, elevando o volume de sangue dentro das artérias, gerando a hipertensão. O especialista alerta, “o diagnóstico é fundamental, pois ao longo do tempo a doença pode acarretar riscos à saúde, como infarto e acidente vascular cerebral (AVC)”.

O tratamento é simples e diário. “Em alguns casos a pressão alta pode ser revertida com pequenas mudanças de hábito, principalmente na alimentação. Isso é fundamental para diminuir o risco de desenvolver doenças cardíacas em longo prazo”.

Sintomas

Outro perigo é que a hipertensão, na maioria dos casos, é silenciosa, não apresentando sintomas. “Em alguns casos, quando o quadro da doença está mais avançado, os pacientes se queixam de dor de cabeça, tontura, falta de ar, palpitação, zumbido nos ouvidos, visão turva e cansaço excessivo. Quanto mais precoce o diagnóstico e o tratamento, menores são os riscos para a saúde”.

A recomendação da Sociedade Brasileira de Cardiologia é que todo paciente com diagnóstico de hipertensão antes dos 30 anos deve ser acompanhado com especialistas, principalmente para a avaliação de hipertensão secundária. “É importante realizar um check-up cardiológico regularmente. Como a hipertensão é silenciosa, através desse acompanhamento, é possível prevenir problemas mais sérios”, alerta o especialista.

Roberto Kalil é presidente do Conselho Diretor do Instituto do Coração (InCor/HCFMUSP) e diretor do Centro de Cardiologia do Hospital Sírio-Libanês.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

By continuing to use the site, you agree to the use of cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Fechar