Caxias do SulVariedades

Grupo UEBA comemora 17 anos com espetáculos abertos ao público

Programação acontece de 24 a 26 de setembro, com apresentações gratuitas no Moinho da Cascata de três peças de um dos mais atuantes grupos teatrais do Sul do Brasil

Nada melhor para comemorar a trajetória de 17 anos levando arte, cultura e entretenimento para as pessoas do que dividir essa alegria com o público. É assim que o Grupo UEBA Produtos Notáveis, um dos mais atuantes grupos teatrais do Sul do país, irá celebrar o aniversário: com espetáculos gratuitos abertos ao público. A programação acontece nos dias 24, 25 e 26 de setembro, quando o grupo abre as portas do Centro Cultural Moinho da Cascata, em Caxias do Sul, para receber crianças e adultos para apresentações de três peças de seu repertório cênico.

As encenações marcam a retomada da abertura do Moinho da Cascata pós-pandemia. O local ficou fechado desde março de 2020 e agora retoma as atividades presenciais. Serão três espetáculos gratuitos. Na sexta-feira (24), às 20h, será a vez de O Templário, com reserva de ingressos pelo WhatsApp 54 99698.4877 ou pelo e-mail produtora@grupoueba.com.br, e público limitado a 50 pessoas. No sábado (25), às 16h, acontece o espetáculo Fábulas do Sul, na área externa do Moinho, com limitação de distanciamento. E no domingo (26), também às 16h, será a vez de As Aventuras do Fusca a Vela. No final de semana, o Moinho estará aberto ao público a partir das 14h. Em caso de chuva, as apresentações acontecerão na parte interna do prédio, com distanciamento e limitação de 100 pessoas conforme determina o PPCI do local. Nesses dias também terá exibição de filmes do grupo e exposição de fotos no Moinho da Cascata.

O Grupo UEBA

Formado em 2004, em Caxias do Sul (RS), o Grupo UEBA se consolidou ao longo desses 17 anos de estrada como um dos principais grupos de teatro da região e um dos mais atuantes do Sul do país. Circulando o Brasil e a América Latina, leva um trabalho autoral com os traços marcantes de suas pesquisas e experimenta diferentes técnicas do fazer teatral. Dentre as linguagens trabalhadas, destacam-se a farsa, utilizada como recurso cômico, e o gênero de rua, por facilitar o acesso do público. O grupo contabiliza apresentações em mais de 300 cidades no Rio Grande do Sul, em quatro países (Chile, Venezuela, Uruguai e Itália) e 12 estados de todas as regiões do Brasil. Desde 2004 são mais de 30 espetáculos artísticos no currículo, além da conquista de inúmeras premiações com destaque para o Prêmio Carequinha de Estímulo ao Teatro e Circo, participações em festivais nacionais e internacionais, produção de livros, documentários lançados no Youtube e o reconhecimento da crítica e das plateias. Além disso, o UEBA já teve diversos projetos culturais aprovados em âmbito municipal, estadual e federal, levando sua arte para os quatro cantos do país.

O grupo foi fundado pelos atores Jonas Piccoli e Aline Zilli, que atualmente ocupa o cargo de secretária da Cultura de Caxias do Sul. Além de dar continuidade e liderar o grupo, Piccoli é membro do Colegiado Setorial de Teatro do Rio Grande do Sul. Neste mês de setembro, o UEBA está circulando com o projeto Fábulas do Sul e no final do mês fará a circulação da peça O Templário.

O Centro Cultural Moinho da Cascata

Desde o início de 2014, o UEBA ocupa as instalações do prédio histórico do Centro Cultural Moinho da Cascata. Tombado pelo patrimônio do município em razão de seu valor histórico enquanto um dos símbolos da industrialização de Caxias do Sul e representando a arquitetura fabril produzida pelos primeiros imigrantes italianos da região, o prédio centenário construído no início do século XX foi transformado em um Centro Cultural para receber o público em manifestações artísticas e culturais. O conjunto ocupado pelo UEBA é formado pelo prédio do antigo moinho, a mata nativa remanescente e a cascata formada por uma queda d´agua de 36 metros. O prédio de mais de mil metros quadrados de área construída conta com três andares, incluindo um espaço multiuso onde são realizadas apresentações. O pátio também acolhe peças no formato teatro de rua. “Receber o público e ocupar essa área tão importante, bela e histórica para iniciativas culturais é um grande prazer e será ainda mais emblemático nas apresentações alusivas aos 17 anos do Grupo UEBA”, destacam os fundadores Aline Zilli e Jonas Piccoli.

SERVIÇO

  • O quê: Mostra de espetáculos alusiva aos 17 anos do Grupo UEBA
  • Quando: Sexta-feira (24), 20h, O Templário, com reserva de ingressos pelo WhatsApp 54 99698.4877 ou pelo e-mail produtora@grupoueba.com.br; sábado (25), 16h, Fábulas do Sul; domingo (26), 16h, As Aventuras do Fusca à Vela
  • Onde: Centro Cultural Moinho da Cascata (Rua Luiz Covolan, 2820, bairro Marechal Floriano)
  • Quanto: Gratuito

SINOPSE DAS PEÇAS DA PROGRAMAÇÃO DOS 17 ANOS DO GRUPO UEBA

O TEMPLARIO – Foto: Aline Zilli

O Templário
O Templário é um solo escrito e atuado por Jonas Piccoli, com direção de Aline Zilli. Surgiu a partir de pesquisas sobre a ordem dos Cavaleiros Templários, organização que atuou por cerca de dois séculos na Idade Média e tinha como objetivo proteger cristãos que peregrinavam a Jerusalém. No entanto, os templários sofrem um golpe do rei que, por ganância e poder, prende seus integrantes para não lhes pagar dívidas e empréstimos.

Fábulas do Sul
O espetáculo traz para cena algumas das principais lendas do folclore gaúcho, como Negrinho do Pastoreio, Cobra Boitatá, Surgimento da Erva-Mate, Salamanca do Jarau e Casa do Índio Guarani Mbororé. As lendas são apresentadas através da ótica de três mascates, com abordagem cênica inspirada na tradição da oralidade gaúcha em suas rodas de chimarrão. Os comerciantes estão buscando a casa do MBororé, onde achariam muito ouro e prata. Nessa jornada, se deparam com as histórias da Cobra Boitatá, do Negrinho do Pastoreio e do surgimento do chimarrão. Eles descobrem a importância das lendas na formação do Rio Grande do Sul e as contam ao público, divertindo a plateia com suas trapalhadas.

AS AVENTURAS DO FUSCA A VELA – Foto: Fabiano Knopp

As Aventuras do Fusca a Vela
Um jovem encontra em um ferro velho uma figura muito interessante, um senhor que diz ser o sobrevivente do Pequod, o legendário baleeiro que tentou caçar Moby Dick. Acaba embarcando na imaginação do capitão e parte, junto com o público, a navegar em águas tempestuosas atrás da baleia. Tudo acontece em torno do também icônico e legendário Fusca.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência de navegação. Mais informações

As configurações de cookies neste site são definidas para "permitir cookies" para fornecer a você a melhor experiência de navegação, anúncios relevantes e maior segurança do usuário. Se você clicar em "prosseguir", vamos entender que está satisfeito com ele. Consulte nossa Política de Privacidade.

Fechar