Caxias do SulNegócios

Presidente da AL defende mudança nos critérios do modelo de distanciamento controlado

Ernani Polo palestrou na reunião-almoço da CIC Caxias nesta segunda-feira (3)

Ou mudam-se os critérios do sistema de distanciamento controlado, com uma margem mais elástica e intensificação de protocolos para uma região passar para uma bandeira mais restritiva, ou se delega às regiões a definição coletiva das regras de restrição. A opinião é do presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, deputado Ernani Polo, defendida durante sua palestra na reunião-almoço on-line que a Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC Caxias) realizou nesta segunda-feira (3). “Trabalhar não significa se contaminar. As pessoas ficam mais bem cuidadas e protegidas dentro de um estabelecimento da indústria ou do comércio do que em outros lugares. Temos que evoluir e avançar, porque se criou um preconceito de que o vírus só vai contaminar as pessoas se elas estiverem trabalhando”, afirmou.

O deputado acredita que medidas que foquem na conscientização das pessoas a respeito dos cuidados com a higiene, a adoção de protocolos e o tratamento precoce são a melhor alternativa para o enfrentamento do coronavírus e para oportunizar a todos o direito de trabalhar. “As pessoas estão desesperadas. O que estamos vendo é vendo uma alta inadimplência nos planos de saúde e nas escolas privadas. As pessoas não estão conseguindo pagar porque não têm dinheiro. Tudo isso vai sobrecarregar e cair sobre o próprio estado, que não vai ter condições mínimas de atender à população, seja na saúde, na educação ou outras áreas”, exemplificou Polo.

O deputado falou também sobre os trabalhos do Fórum de Combate ao Colapso Social e Econômico, que é coordenado por ele e que conta com a participação de mais de 30 setores na busca de mecanismos para minimizar as dificuldades e os impactos da crise do coronavírus nos setores produtivos. Entre as ações, a apresentação de protocolos para o funcionamento do comércio durante a pandemia.

Reforma tributária

Sobre a reforma tributária anunciada pelo governador Eduardo Leite, o parlamentar reafirmou que pretende liderar na Assembleia Legislativa a discussão da proposta de modernização e simplificação do sistema tributário, desde que ela não tire competitividade do estado. “Se mexer, tem que mexer para melhorar, para estimular o desenvolvimento da economia, para gerar novos negócios e abrir oportunidades de trabalho”, enfatizou. Competitividade, aliás, foi elencado como a palavra de ordem de sua gestão como presidente da Assembleia. “O DNA do empreendedorismo está no gaúcho”, sustentou Ernani Polo. O deputado acredita que a reforma precisa deixar os processos mais simples, mais ágeis e menos dependente das pessoas. “Para tudo se exige um responsável técnico. Precisamos partir do princípio da confiança, e o estado tem o papel de fiscalizar, cobrar e punir aqueles que fazem errado”, sintetizou.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo