Publicidade
Caxias do SulNegócios

“O estado tem que parar de desconfiar do empreendedor”

A afirmação é do titular da Sedetur, Rodrigo Lorenzoni, na reunião-almoço da CIC Caxias

Na reunião-almoço promovida nesta segunda-feira (30) pela Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC Caxias), o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo do Rio Grande do Sul (Sedetur), Rodrigo Lorenzoni, apresentou as principais ações da pasta para desburocratizar o ambiente de negócios e auxiliar os empreendedores a superarem os impactos da pandemia. O evento foi realizado em formato híbrido, com transmissão pelo YouTube e Facebook.

Rodrigo Lorenzoni – Fotos: Karine Zanardi dos Santos/CIC

Autor do Projeto de Lei (PL) 231/19, que visa adequar a legislação estadual à Lei 13.874/2019, que institui a Declaração de Direitos da Liberdade Econômica, Lorenzoni enfatizou que o governo gaúcho tem convicção de que o desenvolvimento econômico se dá a partir da ação empreendedora da iniciativa privada. “O estado tem que parar de desconfiar do empreendedor”, sinalizou, lembrando que a Lei de Liberdade Econômica se baseia na presunção de boa-fé do empreendedor e na interferência mínima e excepcional do estado sobre a prática de atividades econômicas.

Publicidade

Em relação à crise sanitária sobre a economia gaúcha, Rodrigo Lorenzoni disse que a pandemia impactou negativamente a indústria e os serviços, afetou as exportações pela fraca demanda internacional, diminuiu em 490 mil o número de pessoas ocupadas no mercado de trabalho, impôs a perda de aproximadamente 88 mil empregos formais e fez a arrecadação de ICMS cair 3,1% entre janeiro e setembro. As reformas em curso, no entendimento do secretário, poderão recuperar a competitividade e a capacidade financeira do estado.

O secretário mostrou-se otimista com a retomada do turismo. Apesar de os números mostrarem um cenário de danos – o Rio Grande do Sul perdeu 3,6 mil estabelecimentos turísticos e acumulou R$ 12 bilhões de prejuízo de março a setembro -, Lorenzoni reiterou que a promoção do turismo regional, com deslocamentos de curta distância, surge como a grande oportunidade para a recuperação do setor. Ele aposta no turismo interno como um dos principais destinos dos gaúchos no próximo ano. “As viagens regionais vão ganhar força, a crise sanitária e econômica fará com que as pessoas conheçam melhor o próprio lugar em que vivem”, ressaltou.

Rodrigo Lorenzoni também ainda sobre os projetos que a Sedetur oferece ao empresariado gaúcho, como o Fundo Operação Empresa do Rio Grande do Sul (Fundopem 4.0) e o Programa Estadual de Desenvolvimento Industrial (Proedi).

Publicidade
Publicidade

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo